quarta, 15 abril 2015 16:23

Sobre Nós

Escrito por
Classifique este item
(4 votos)

Através da Portaria nº 587/93, de 11 de Junho foi criada a Escola EB 2/3 de Évora, tipologia T30, para entrar em funcionamento em 1 de Setembro desse ano. A criação desta escola teve como objetivo dar resposta à população escolar residente nos bairros das Pites, Coronheiras, Bacelo, Canaviais, Malagueira e ainda das freguesias de S. Bento do Mato, Nossa Senhora da Graça do Divor, Nossa Senhora de Machede e S. Miguel de Machede.

Durante o ano letivo de 1999/2000, decorreu o processo de escolha do patrono para a escola. Com base no decreto-lei nº 387/90, de 10 de Dezembro, na redação dada pelo Decreto-Lei nº 314/97, de 15 de Novembro, procedeu-se, através de inquéritos efetuados a toda a comunidade educativa, à recolha de nomes para o patrono da escola, num universo de personalidades locais de relevo cultural, científico e filantrópico. Procedeu-se de seguida à análise quantitativa dos inquéritos e foi apurado com o maior número de votos o nome do Conde de Vilalva. Este resultado teve como base o reconhecido valor filantrópico, cultural, social, económico e humano demonstrado pelo Conde de Vilalva, enquanto pessoa e único titular e administrador da Fundação Eugénio de Almeida. Enviado o apuramento verificado para a Câmara Municipal de Évora, o mesmo foi aprovado por unanimidade na Comissão Municipal de Educação. Comunicados os procedimentos à Direção Regional de Educação do Alentejo e posterior encaminhamento, a Escola EB 2/3 de Évora passou a ter a designação de Escola EB 2/3 Conde de Vilalva, pelo Despacho nº 21175, II série, de 20/10/2000.

A entrada em vigor do Decreto-Lei nº 115A/98, de 4 de Maio provocou uma profunda alteração na rede escolar uma vez que implementou os Agrupamentos de Escolas (verticais e horizontais). Como resultado da aplicação do decreto-lei referido, a rede escolar do concelho de Évora ficou organizada em três agrupamentos verticais (cada um constituído por uma escola EB2/3 e várias escolas EB1 e jardins-de-infância. Por despacho do senhor Diretor Regional de Educação do Alentejo, datado de 6 de Abril de 2001, e nos termos do nº3 do artigo 6º do decreto regulamentar nº 12/2000, foi criado o Agrupamento de Escolas Nº 5 de Évora.

Devido à construção da Escola EBI da Malagueira em 2004, conjuntamente com a implementação do Despacho nº 13313/2003, II série de 8 de Julho que privilegia a constituição dos agrupamentos verticais, surgiu a necessidade de uma reorganização na rede escolar do concelho de Évora. Tendo em consideração o referido, a partir do ano letivo 2004/2005, foram extintos os dois agrupamentos horizontais existentes, passando a existir 4 agrupamentos verticais, com sede na respectiva EB2/3. Em 9 de Junho de 2004, por despacho da senhora Diretora Regional de Educação do Alentejo, nos termos do previsto do nº 3 do artigo 6º do Decreto-Regulamentar nº 12/2000, de 29 de Agosto, foi homologada a proposta de constituição do AE4E, com sede na Escola EB 2/3 Conde de Vilalva.

Com a nova reorganização da rede escolar no concelho de Évora, dada pelo decreto-lei n.º 137/2012 de 2 de julho, levada a cabo no ano letivo de 2012/13, a partir de 24 de Abril de 2013, o Agrupamento de Escolas N.º4 de Évora agregou a Escola Secundária André de Gouveia, passando esta a ser a sua sede. Esta encontra as suas origens no Liceu Nacional de Évora, criado em 1841 que ficou instalado no Colégio do Espírito Santo, tendo mudado para as atuais instalações em 1979. O estatuto do Liceu e a dinâmica cultural que foi assumindo fizeram dele uma referência local, regional e nacional. Tem sido grande o seu contributo na formação de cidadãos que se tornaram personalidades de âmbito nacional nos domínios das artes, das ciências, das humanidades, do desporto e da política. De salientar ainda as suas espécies bibliográficas (monográficas, periódicas e arquivísticas), científicas e tecnológicas que fazem parte do acervo da Escola. Há também a referir que a música e o teatro fazem parte da identidade da Escola. A Tuna Académica do Liceu de Évora e o grupo de teatro GATAPUM contribuem para esta identidade e ajudam a projetar a sua imagem.

Cada escola tem uma especificidade muito própria e uma individualidade muito rica que importa conhecer, preservar e fomentar, ou não fosse da diversidade com interatividade que resulta um melhor respeito pelo outro e uma cidadania responsável e respeitadora das diferenças. No entanto, apesar das diferenças, encontramos semelhanças entre os estabelecimentos de ensino que constituem o Agrupamento, o que confere uma certa identidade à nossa comunidade educativa.

A dispersão dos estabelecimentos de ensino tem impacto na organização interna do Agrupamento. As escolas EB1 enquadram-se no conceito de «escola a tempo inteiro». A distância dos vários espaços físicos do Agrupamento torna difícil a gestão das diferentes realidades.

A coesão do agrupamento e espírito de unidade é a nossa preocupação, tendo sempre em mente o respeito por cada ciclo e por cada unidade orgânica que integram o Agrupamento de Escolas n.º 4 de Évora.

Ler 2835 vezes Modificado em sexta, 17 abril 2015 10:05
Mais nesta categoria: Missão, princípios e valores »

Please publish modules in offcanvas position.

Free Joomla templates by L.THEME

Consola de depuração Joomla

Sessão

Dados do perfil

Utilização de memória

Pedidos à Base de dados